A banda Tuatha de Danann une harmoniosamente vertentes musicais com base no Heavy Metal e música celta. Essa proposta se iniciou em 1995 na cidade de Varginha/MG. Naquela época, o grupo formado por adolescentes com idade entre 13 e 16 anos, já surpreendia a cena musical alternativa brasileira com a demo-tape “The Last Pendragon”. Pouco tempo depois, em 1998, a segunda demo, “Faeryage”, apresentava ao Brasil a tônica musical da carreira dos músicos, o Celtic Heavy Metal ou Folk Metal.

Com o passar dos tempos, aliando o amadurecimento musical e pessoal dos integrantes às possibilidades de produção de sua música, o Tuatha de Danann presenteou o nascente cenário musical Folk Metal com os CDs “Tuatha de Danann” (1999), “Tingaralatingadun” (2001), “The Delirium Has Just Began…” (2002) e “Trova di Danú” (2004). Com esses álbuns lançados também na França e Rússia, a banda se apresentou em diversos locais do Brasil, excursionou pela França e, em 2005, tocou no maior festival de música underground da Europa, o “Waken Open Air” da Alemanha.

Nesse período, o Tuatha de Danann figurou em diversas listas e enquetes como uma das mais expressivas bandas de Heavy Metal do Brasil, e seus membros como melhores instrumentistas entre músicos brasileiros do estilo. Esse reconhecimento é resultado de composições esmeradas, criativas e festivas, criadas a partir de experimentações com instrumentos tradicionais do Rock, como guitarra distorcida, baixo, teclados, bateria e instrumentos não convencionais e da cultura celta, como bouzouki, tin e low whistle (flautas irlandesas), uilleann pipes (gaita de fole irlandesa), flauta doce e transversal, bandolim, entre outros.

Após circular por diversos festivais e casas de shows do Brasil, o Tuatha de Danann registra o seu primeiro trabalho acústico: o DVD “Accoustic Live 2009”. O álbum foi gravado ao vivo em dois shows realizados na sala Adoniran Barbosa, do Centro Cultural de São Paulo (CCSP), com lotação esgotada.

Movidos pelo desejo de expandirem mais o Folk Metal pelo país, os músicos do Tuatha de Danann se dedicaram a projetos musicais paralelos que deram forma aos grupos Braia (música celta com MPB), Tray of Gift (Folk Metal) e Kernunna (Celtic Progmetal), mas em 2015 a banda reaparece com o esperado álbum “Dawn of a New Sun”, com os contornos celtas inconfundíveis que consolidaram os mineiros e apuradas percepções musicais do Rock Progressivo e Heavy Metal.

O álbum, com participações especiais do vocalista inglês Martin Walkyier (Skyclad, Sabbat e outros) e do vocalista/baixista Khadu Capanema do Cartoon, foi um dos mais vendidos do ano e considerado um dos melhores lançamentos nacionais de Heavy Metal em 2015, sendo o passaporte para uma viagem mágica, porém sóbria e amadurecida, para quem sentia necessidade de originalidade musical no meio Rock/Metal.

Em 2018, cada vez mais dedicados à música alinhada às culturas mundiais, o Tuatha de Danann, após uma reformulação, ressurge como trio formado por Bruno Maia (vocais, guitarra, flautas, banjo, bouzouki e bandolim), Giovani Gomes (baixo e vocais) e o tecladista Edgard Brito. Um novo EP começa a ser produzido e as características celtas indispensáveis à banda dividem terreno a outros climas, dando espaço também a letras mais existencialistas. O disco que se chama “The Tribes of Witching Souls” foi lançado em fevereiro de 2019 pela Heavy Metal Rock e traz participações especiais de Fernanda Lira (Nervosa), Daísa Munhoz (Soulspell), Nita Rodrigues (Bud Pump), Dave Briggs (Waylander/Irlanda) e, mais uma vez, Martin Walkyier em uma das canções mais velozes do CD, “Your Wall Shall Fall”, que virou videoclipe de promoção do álbum.

A banda se encontra em estúdio gravando seu novo álbum chamado “In Nomine Eireann”, álbum dedicado à música tradicional irlandesa em que a banda faz versões de temas dessa música milenar que sempre foi uma das grandes influências no som do Tuatha de Danann.